Essa é a experiência que espera pelos jovens selecionados para serem sombra de um CEO.

Cláudio Marques

“Vai ser bem interessante. Em um dia, o estudante vai poder navegar por diversas áreas da empresa”, afirma o diretor-presidente da Epson, Fernando Stinchi, em relação ao que espera pelo universitário participante do programa CEO por um Dia que for selecionado para acompanhar sua rotina.

Realizado pela consultoria de recrutamento de executivos Odgers Berndtson com apoio do Estado, PDA International e Machado Meyer Advogados, o programa CEO por um Dia escolhe alunos do último ou penúltimo ano de qualquer curso de graduação reconhecido pelo MEC para ser “sombra” do dirigente de uma grande empresa durante uma jornada diária de trabalho.

Nesta segunda edição, 16 grandes companhias e seus principais dirigentes estão participando (veja lista nesta página). Assim, 16 estudantes serão selecionados pela Odgers Berndtson para, em novembro, seguirem a rotina de um líder.

De acordo com Stinch, a Epson tem o compromisso de apoiar o jovem. “O CEO por um Dia é uma das formas que temos para nos aproximarmos do jovem, como o programa de estágio que estamos lançando. Ou seja, o CEO por um dia vai ao encontro de nosso objetivo de estarmos mais em contato com o jovem”, afirma o dirigente.

“Em um dia meu, ou dos meus executivos, é possível navegar por diversas áreas, por diversas decisões. O dia a dia é bastante intenso. Ter a possibilidade de viver um dia com um dirigente, vai dar ao jovem a visão do que é a administração, não só a da teoria, da universidade, mas da prática.”

O presidente da empresa conta que ele e os executivos da companhia discutiram se iriam preparar um dia especial para o estudante e chegaram à conclusão que seria melhor manter a rotina. “Tem de ser um dia normal, sem nenhum tipo de preparação. Assim, vamos dar para esse jovem a possibilidade de entrar em contato com os processos e decisões que tomamos no dia a dia. Então, optamos por não fazermos nada de especial e colocarmos esse jovem junto comigo. Devo ter reuniões com as áreas de manufatura, vendas, marketing, finanças, de logística. Ele vai poder vivenciar diversas situações.”

Mais conhecida por fabricar impressoras residenciais e para pequenos negócios, a Epson também tem uma diversidade de negócios voltados para o mercado empresarial. No Brasil, são 800 funcionários em dois centros de manufatura.

Com 30 anos de carreira, Stinchi iniciou seu trajeto profissional na consultoria Arthur Andersen, e também passou pela Gradiente, JVC e Philips.

Sustentação. O venezuelano Roger Lauglin, presidente do Makro Atacadista do Brasil desde 2010, é outro participante do programa. Ele diz que a busca por novos talentos é uma marca da companhia de origem holandesa. “Para nós, o jovem talento é a coluna vertebral do negócio”, ressalta o dirigente. “Está cada vez mais claro que as pessoas, os talentos, são o que fazem a empresa.”

O Makro, de acordo com o dirigente, tem programas de talentos internos e internacionais, além de programa de trainees. “Estamos acostumados a estar com os jovens talentos”, diz, ao ressaltar a afinidade da empresa com o CEO por um Dia. “Quando surgiu o convite para participarmos da iniciativa, nem precisamos pensar muito para aceitarmos.”

Ele afirma que parte do DNA do Makro é buscar talentos. “O programa projeta o Makro nesse grupo de pessoas, é uma via adicional para colocar a empresa nesse circuito de jovens talentos”, afirma Laughlin. Nesse sentido, uma das práticas da companhia é a busca por possíveis profissionais na USP, Mackenzie e PUC.

O executivo diz que a empresa, ao mesmo tempo que traz holandeses para atuar no Brasil, tem enviado brasileiros para trabalhar nas operações em diversas partes do mundo. “Para serem treinados lá e voltarem. É um dos nossos pilares.”

Laughlin diz que a empresa deve faturar R$ 8,7 bilhões neste ano, tem 10 mil funcionários, 75 lojas espalhadas por todo o País, 74 restaurantes e 35 postos de combustíveis. Uma outra operação no Brasil que pertence ao grupo é a Supergasbrás.

Inscrições. As inscrições para o programa CEO por um Dia terminarão no dia 3 de outubro e devem ser feitas exclusivamente em www.ceox1dia.com.br. O processo de seleção ocorrerá durante até o fim desse mês e os escolhidos estarão com os CEOs em novembro. Nesta nova edição, os diretores seniores da Odgers estarão envolvidos na seleção dos candidatos, em um processo que analisará características, comportamentos e competências que tenham forte tendência com negócios, liderança e gestão. Cada um dos executivos é especialista em um setor.

“Haverá um conselho de decisão. Serão oito diretores super seniores avaliando currículos, discutindo em comitê, em conjunto, quais serão os aprovados”, diz o coordenador do programa na Odgers, Ademar Couto. 

Além de Fernando Stinchi, diretor-presidente da Epson, e de Roger Laughlin, presidente do Makro, os demais participantes são Esteban Rossi, VP e gerente geral da BD; Luis Rezende, presidente da Volvo Cars; Mateus Bandeira, presidente da Falconi Consultores de Resultado; Sylvia Brasil Coutinho, presidente do Banco UBS; Paulo Ricardo Stark, presidente da Siemens; José Roberto Loureiro, CEO da rede de ensino Laureate Brasil; Walter Dissinger, da Votorantim Cimentos; Ricardo Ermírio de Moraes, da Natural One; Fernando Alves, da PWC; Frederico Pedreira, da Avianca; Marcello Spinelli, da VLI; Roberto Cortes, presidente da Man Volkswagen Caminhões; Fabio Fossen, presidente da Bridgestone Brasil, e Javier Bilbao, presidente da DHL Supply Chain.

Comentários