Essa é uma experiência que o dirigente da BD, Esteban Rossi, quer transmitir ao estudante escolhido para acompanhar sua rotina de trabalho pelo programa CEO por um Dia ; outros dois líderes dizem o que esperam da participação no programa.

Cláudio Marques

A participação de estudantes no programa CEO por um Dia proporcionará aos escolhidos experiências e conhecimentos que ultrapassam questões meramente administrativas.

“Penso que vamos conseguir dar para esse jovem uma boa experiência do ponto de vista multicultural e de diversidade, pelo fato de eu ser um profissional estrangeiro atuando no Brasil por oito anos, pelo fato de que a minha posição tem uma responsabilidade regional que abarca desde México até Argentina”, afirma o vice-presidente e gerente geral da empresa de tecnologia médica BD, o argentino Esteban Rossi, que tem mais de 20 anos de experiência profissional.

O programa CEO por um Dia é realizado pela consultoria Odgers Berndtson, uma das líderes mundiais em recrutamento e seleção de executivos, com o apoio do Estado, PDA International e Machado Meyers Advogados. O objetivo é escolher universitários do último e do penúltimo ano, de qualquer área, para acompanharem durante um dia inteiro a rotina de trabalho de um presidente de empresa. Nesta segunda edição, 16 companhias aderiram ao programa e cada uma irá receber, em novembro, um estudante para ser “sombra” do seu principal dirigente.

“Acho que vou poder transmitir ao estudante o que significa ser um executivo em um mundo globalizado. Em minha equipe de trabalho, há pessoas que se reportam a mim e que são alemães, espanhóis, pessoas que estão no México, Colômbia, Argentina”, afirma Rossi.

Ele acrescenta: “Também vou poder compartilhar como é navegar em uma companhia matricial”, acrescenta, referindo-se à estrutura organizacional da BD, multinacional de origem americana que atua com tecnologia médica. Formado em bioquímica pela Universidade Nacional de Buenos Aires, tem MBA pela universidade argentina de Salvador e pela estadual de Nova York (EUA).

Presidente da Volvo Cars no Brasil, Luis Rezende tem 36 anos de idade e ressalta o seu apreço por estagiários. Ele lembra que teve vários líderes que serviram de exemplo em sua carreira. “Não apenas em aspectos técnicos, mas também em aspectos de postura, e de outros ensinamentos que não aprendemos na faculdade”, diz. “E eu procuro passar isso para os estagiários, para os mais jovens”, afirma, para explicar o que o atraiu no programa.

Rezende diz que também quer mostrar o estilo de administração da Volvo, que na execução, na operação, trabalha por projetos. “Nesses casos, há uma liderança do projeto, independentemente de “patentes”, que trabalha em conjunto com diversas áreas da empresa”, diz ele, opinando que as companhias que adotam esse tipo de gestão são mais ágeis e produtivas. Para ele, novos talentos precisam ter visão de futuro.

Formado em economia pela Fundação Santo André, possui MBA pela Fundação Getúlio Vargas. Iniciou a carreira no ano 2000 na Peugeot-Cirtroën, passou por Maxxium e Philips antes de entrar na Volvo, em 2008, como CFO. Em 2014, foi nomeado presidente.

Serviços. Além de grandes indústrias e de um banco, o programa CEO por um Dia também tem a participação de empresas que atuam no setor de serviços. Uma delas é a Falconi Consultores de Resultado, renomada consultoria brasileira de gestão e de resultados.

“O programa dá oportunidade de o jovem experimentar, ainda que pouco, daquilo que seria um dia típico, não só do CEO, mas da organização inteira. Ele deve ter a oportunidade de ver a interação com o time e com o cliente”, afirma o presidente da Falconi, Mateus Bandeira. “Nós, que temos contato permanente com o jovem, com a universidade, achamos o programa muito bacana.”

Ele conta que pretende escolher um dia para receber o estudante que seja o mais típico possível. “Somos uma partnership (empresa formada por associados). Por isso, embora eu seja o sócio-presidente, muitas das decisões são tomadas em comitês”, diz Bandeira.

Mateus Bandeira, CEO da Falconi Consultores de Resultado

Mateus Bandeira, CEO da Falconi Consultores de Resultado

“Então, escolhemos uma segunda-feira, que é o dia que temos a maioria de nossos comitês. Temos comitê de produção, de gente, vários deles. Então, o estudante que estiver conosco vai conseguir ver de forma ampla o que fazemos, porque temos, por exemplo, discussão sobre gente, quando fazemos avaliação de desempenho, sobre promoções, recrutamento etc.”

Ele prossegue com o exemplo. “Temos discussões envolvendo projetos em produção, demandas que entraram e como estamos elaborando propostas. Também temos reunião do comitê de desenvolvimento. Então, o estudante vai ter, na parte da manhã, uma boa ideia do que é o mundo da consultoria, pelo menos da consultoria de gestão que é sempre muito mão na massa. E à tarde, temos reuniões com clientes.”

Para Bandeira, em um único dia, o estudante vai ver muitas coisas, desde assuntos relativos à governança interna e também da interação com clientes. “Acho que vai ser super-rico, para quem tiver a oportunidade de estar conosco.”

O executivo iniciou sua carreira trabalhando em empresa privada, depois ingressou na carreira pública na Secretaria de Fazenda do Rio Grande do Sul. Mas também trabalhou na companhia de energia do Estado. “Em determinado momento, saí para fazer um MBA nos EUA, que foi muito determinante para decisões que tomei posteriormente”, conta.

Na volta, trabalhou no Ministério da Fazenda. Depois se juntou ao governo de Yeda Crusius no Rio Grande do Sul, ajudando a governadora a implementar um severo ajuste fiscal. Nessa época, passou pelo Tesouro estadual, foi secretário de Planejamento e presidiu o banco estadual. Foi nessa período que Bandeira teve contato com a Falconi. O convite para participar da empresa veio com o fim do governo. Seu desafio, é ajudar no crescimento e internacionalização da companhia.

Todos os CEOs

Além de Esteban Rossi, vice-presidente e gerente geral da BD, de Luis Rezende, presidente da Volvo Cars, e de Mateus Bandeira, presidente da Falconi Consultores de Resultado, outros 13 principais dirigentes de grandes empresas participam do CEO por um Dia, que é promovido pela consultoria Odgers Berndtson. São eles Sylvia Brasil Coutinho, presidente do Banco UBS, Paulo Ricardo Stark, presidente da Siemens, José Roberto Loureiro, CEO da Laureate Brasil; Walter Dissinger, da Votorantim Cimentos; Roger Laughlin, da Makro Brasil; Ricardo Ermírio de Moraes, da Natural One; Fernando Stinchi, da Epson; Fernando Alves, da PWC; Frederico Pedreira, da Avianca; Marcello Spinelli, da VLI.

Comentários